18057024_10208282470611906_8531483068566022020_n.jpg   ws.jpg

Cultura

Imprimir
PDF

Festa da cidade: saiba mais sobre a estrutura e programação completa

Escrito por Administrator on .

 

 a6d9a181-9dcc-44f2-9b1b-53019cfb2de3 

A Festa do Amor que celebra os 32 anos de emancipação política de Teixeira de Freitas começa nesta sexta-feira, 5 de maio. Serão três dias de folia com uma programação feita com os melhores trios elétricos.

Programação

Na sexta-feira, dia 5, a comemoração fica por conta de OS BAMBAZ, PARANGOLÉ, Fantasia do Samba, Café Pequeno, Xela Comando X, Os Garanhões e Marcos & Bruno.

No sábado, 6 chega para animar a GUIG GUETO, HARMONIA, ALINNE ROSA, Top 90, Daniel Show, Love Beat e Balada Vip.

No domingo 7 encerra a festa, BABADO NOVO, TREM BALA, Rei da Esbórnia, A Bala, Trio Xote Novo, Sapato Velho e Tamy Persan & Banda.

Além de mais de 30 apresentações no palco dos Artistas da Terra.

Estrutura

d1065569-a70b-4dea-9339-dce972078422

O circuito que está sendo montado na Avenida das Nações contará com 100 barracas de alimentação e bebidas, banheiros químicos, estacionamento ao redor da festa, parque de diversão e segurança garantida.

Por- Sul Bahia News

Imprimir
PDF

Exposição destaca a contracultura francesa das décadas de 70 e 80

Escrito por Administrator on .

 

alt

Uma exposição em cartaz no espaço Maison Rouge, em Paris, faz uma retrospectiva dos movimentos artísticos e sociais franceses da geração pós-Maio de 1968. "O Espírito Francês - Contraculturas 1969 a 1989" questiona os valores tradicionais da cultura francesa considerada "oficial" e destaca uma identidade lado B do país - naquela época mais insolente e subversivo.

A mostra, que se divide em 11 percursos, exibe mais de 700 obras e documentos de cerca de 60 artistas, transitando por temas como educação, sexo, política, cultura. A exposição é regada pelo espírito cáustico de uma geração movida a profundas transformações da sociedade e por ícones vanguardistas que incentivavam os franceses a transgredir, como o músico Serge Gainsbourg, o humorista Coluche, a atriz e cantora Marie France, os jornalistas das revistas Hara-Kiri e Charlie Hebdo e os artistas do coletivo Bazooka.

Em entrevista à RFI, o co-curador da exposição, Guillaume Desanges, explica que, a exemplo do clima vanguardista e sarcástico dos anos 70 e 80 na França, o objetivo da mostra é provocar. "A França é um país que mais critica do que celebra. Esse espírito francês que queremos mostrar é mais de destruição que de construção, mais individualista que comunitário, mais negativo que positivo. Com essa exposição, tentamos fazer uma cartografia dessas contraculturas guiadas por esse espírito para tentar mostrar que ele marca presença em algumas práticas", afirma.

Da Marselhesa ao movimento punk francês

Obras que marcaram ícones dissidentes no cinema, música, fotografia, grafismo, além de arquivos audiovisuais, documentos e instalações integram a exposição. A mostra também exibe peças raras como os cadernos do grupo Dziga Vertov, fundado pelos cineastas Jean-Luc Godard e Jean-Pierre Gorin, o manuscrito original da Marselhesa - o hino nacional francês -, de 1792, a instalação de uma guilhotina do artista Michel Journiac e outra instalação criada especialmente para exposição, "O Conto Cruel da Juventude", sobre o movimento punk francês. Os movimentos feminista, LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), e as primeiras gerações de imigrantes árabes da França também ganham destaque nas representações da contracultura na Maison Rouge.

 A crítica francesa de arte, Sandra Lévy, acredita que o atual momento, de crescimento da extrema-direita na França, do aumento de conservadorismo e da xenofobia é um bom momento para falar de contracultura, que, segundo ela, está em falta. "Tenho a impressão de que chegamos em um ponto em que, após a transgressão, não há mais nada, apenas negação, o niilismo. Na exposição vemos coisas do passado que ainda fazem parte da nossa realidade hoje, como as desigualdades entre homens e mulheres, o questionamento do direito do aborto… parece que, após todos esses anos, nós regredimos", diz.

Já a espanhola Violeta Janeiro acredita que essa exposição pode estimular o público a reagir. "Diante do momento que estamos vivendo hoje, para mim, é extremamente necessário ter esses movimentos como exemplo. Precisamos de mais ativismo e contracultura e talvez essas duas décadas poderão nos inspirar", afirma.

"O Espírito Francês - Contraculturas 1969 a 1989" fica em cartaz na Maison Rouge até o dia 21 de maio.

Da Redação RWR

Fonte RFI

 

Imprimir
PDF

Cinco lições que aprendemos com o filme "A Bela e a Fera"

Escrito por Administrator on .

 

O retorno de A Bela e a Fera aos cinemas refrescou a memória do público para as lições que estão no enredo do conto francês adaptado pela Disney. Os grandes temas da animação lançada em 1991 passam por padrões de beleza, respeito às mulheres e importância da leitura. Leia mais abaixo:

 

1 REFLEXÃO SOBRE PADRÕES DE BELEZA

alt

No filme, a Bela se apaixonada por uma fera, literalmente uma besta. A jovem ensina a importância de olhar para o interior das pessoas, e não somente para a aparência.

 

2 É PRECISO RESPEITAR A MULHER

alt

Gaston, o bonitão apaixonado por Bela, mostra como um homem não deve agir quando o assunto é relacionamento. Violento e abusivo, ele não respeita os limites que a jovem impôs, além de não se conformar em ser trocado por uma criatura estranha. Bela não se submete à conduta machista do personagem.

 

3 IMPORTÂNCIA DA LEITURA

alt

Bela é uma jovem apaixonada por livros. No filme, é considerada esquisita por amar a literatura, mas não está nem aí. Fica realmente encantada com a biblioteca do castelo da Fera.

 

4 RELAÇÃO ENTRE PAIS E FILHOS

alt

A comunidade considera o pai de Bela louco por ser um inventor, mas a jovem decide não dar ouvidos às pessoas. Ela não aceita que destratem Maurice e mostra ter muito carinho por ele. Quando o pai se perde na floresta, a garota não pensa duas vezes antes de sair à procura dele.

 

5 MULHERES DE FIBRA

alt

Bela mostra que meninas devem ser corajosas. Ela diz não a um relacionamento com o homem mais desejado do vilarejo, não se importa em ser considerada esquisita por adorar ler e decide se relacionar com a Fera apesar do que os outros poderiam dizer.

Esse filme está em cartaz no Cine Teixeira Mall - Teixeira de Freitas - Centro

 

Imprimir
PDF

SecultBA abre inscrições do programa Fazcultura para exercício 2017

Escrito por Administrator on .

 

O Programa Estadual de Incentivo ao Patrocínio Cultural – Fazcultura, executado em parceria pelas secretarias da Cultura e da Fazenda, entra no seu 21º ano de atividade, mantendo o investimento de R$ 15 milhões disponibilizados através de chamada de renúncia fiscal pelo Governo da Bahia. As inscrições para o exercício de 2017 serão iniciadas nesta sexta-feira (3 de março), ficando abertas durante todo o ano.

Em 2016, o Fazcultura beneficiou 54 iniciativas culturais, concedendo R$ 13,4 milhões para projetos em áreas diversificadas, um acréscimo de 42% em relação à utilização de recursos do ano de 2015, que chegou a R$ 9,4 milhões. O patrocínio foi feito com a participação 23 empresas recolhedoras de ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação), em segmentos como música literatura, audiovisual e teatro, entre outros. Por exemplo, o Livro que marcou as comemorações dos 25 anos do Balé Folclórico da Bahia ("Balé Folclórico da Bahia, um Patrimônio Cultural do Brasil") foi editado com o apoio do programa e das empresas Braskem, Hiperideal e O Boticário. A obra foi resultado de mais de dez anos de pesquisa. Com 228 páginas e 250 fotos, o livro foi impresso em dois idiomas.

De RWR/Por NL

Imprimir
PDF

Cerca de 750 mil turistas curtiram o carnaval em Salvador

Escrito por Administrator on .

 

Cerca de 750 mil turistas curtiram o carnaval em Salvador

Durante os sete dias oficiais de carnaval em Salvador, cerca de 750 mil turistas visitaram a cidade – 100 mil deles eram estrangeiros, segundo levantamento da prefeitura de Salvador, que divulgou hoje (1º) o balanço dos dias de folia.

“Nós fizemos o maior carnaval de todos os tempos, a cidade mostrou que não existe outro lugar no planeta que tenha a capacidade de fazer uma festa dessa dimensão, com essa quantidade de gente. É claro, a prefeitura se preocupa em avaliar o que pode melhorar e ser aperfeiçoado e a gente já começou a pensar no planejamento do carnaval de 2018, mas neste momento a gente quer comemorar com muito entusiasmo o resultado do carnaval de 2017”, disse o prefeito ACM Neto.

Segundo o levantamento, cerca de 100 mil visitantes desembarcaram no Aeroporto Internacional de Salvador. Por via marítima, 32 mil turistas chegaram via ferry boat e quase 9 mil desembarcaram de navios cruzeiros no Terminal Marítimo do Porto de Salvador.

Durante a divulgação do balanço de carnaval, o prefeito da cidade, ACM Neto, adiantou que algumas mudanças podem ocorrer no carnaval de 2018, a partir de eventos observados na folia que acabou ontem (28). Segundo ele, será necessário estudar uma melhor distribuição das atrações mais conhecidas, para gerar equilíbrio de público entre os circuitos Dodô (Barra) e Osmar (Campo Grande).

“Eu acho que a gente precisa, já para o próximo ano, definir uma estratégia para fortalecer o circuito do Centro (Campo Grande). E isso passa por determinar que o número de atrações que desfilam sem corda, necessariamente desfilem no Campo Grande. São ajuste que vamos fazer e já começamos a discutir para melhorar no próximo ano”, adiantou o prefeito.

ACM Neto afirmou que vai aguardar um período de descanso de carnaval para começar o planejamento da folia do ano que vem. Além disso, sinalizou que pretende se reunir com empresários, artistas e com representantes do governo do estado. O público também será ouvido, garantiu o chefe do executivo local. Para isso, já foi solicitada a elaboração de uma pesquisa, na internet, para ouvir as principais críticas e observações dos foliões.

Redução de ocorrências

Nos serviços de atendimento ao público, a prefeitura registrou uma queda de 19,5% no número de atendimentos em saúde, em relação ao ano passado. A maior procura por atendimento foi no circuito Barra/Ondina, onde foram registradas 66% das ocorrências. O circuito de Campo Grande atendeu 30% dos casos. Os demais atendimentos ocorreram nos carnavais de outros circuitos, incluindo os bairros. Uma ocorrência com arma de fogo foi registrada no carnaval deste ano. Em 2016, foram registrados três casos.

Problemas com excesso de álcool também ocorreram em menor escala, com uma queda de 13% nos atendimentos na comparação com o ano passado. As mulheres representaram 56,8% do total de  atendimentos por abuso de álcool. As bebidas alcoólicas também foram motivo de 303 notificações durante as blitzen da Lei Seca, nas quais 2.031 veículos foram abordados para realização do teste do bafômetro.

Cerca de 7 mil foliões procuraram o serviço dos dois postos Fique Sabendo, instalados pela prefeitura para testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Este ano, 42 pessoas tiveram testagem positiva para o vírus HIV (15 a menos que o carnaval do ano passado), 23 para hepatites e 200 para sífilis. No último caso, os pacientes receberam, no local, a primeira dose de medicamentos. Todos os pacientes diagnosticados com alguma DST foram encaminhados para continuidade do tratamento na rede de saúde.

Nas duas delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher, foram registradas 94 queixas de violência.

A expectativa do Serviço de Limpeza Urbana é o recolhimento de 1,6 mil tonelada de resíduos deixados pelos foliões. Até o momento, o órgão havia registrado o recolhimento de 1,2 mil tonelada. Nesta Quarta-Feira de Cinzas, os responsáveis pelos camarotes já começaram a operação de desmontagem das estruturas. A retirada total deve ser realizada até o dia 10 de março, sob risco de multa por descumprimento.

De RWR/Por Rc